Olivier Corsan/Efe
Olivier Corsan/Efe

Jornal francês publicará charges de Maomé, diz editor

Em 2011, a publicação de uma edição com charges do profeta fez do jornal alvo de incêndio criminoso

AE, Agência Estado

18 de setembro de 2012 | 15h26

PARIS - O jornal satírico francês Charlie Hebdo confirmou nesta terça-feira, 18,  que sua mais recente edição trará várias charges irreverentes caricaturando o profeta Maomé.

 

Veja também:

especialACERVO: Ofensas ao Islã causam protestos

O editor do semanário, que é um cartunista e usa o nome de Charb, disse que as imagens irão "chocar aqueles que querem ser chocados", informa a agência France Presse (AFP).

O semanário costuma circular às quartas-feiras. Para os muçulmanos, fazer qualquer desenho ou representação do profeta Maomé é uma blasfêmia. Se publicadas, as charges poderão inflamar ainda mais os muçulmanos, inclusive na França, já irritados com o filme "A Inocência dos Muçulmanos" produzido nos Estados Unidos.

Em entrevista ao jornal Libération, o chanceler da França Laurent Fabius disse que é "contra qualquer provocação". Charb afirmou que os cartuns que o jornal pretende publicar não são mais provocadores que os habitualmente publicados no pasquim.

Em 2011, o jornal teve sua redação destruída por um incêndio criminoso, horas antes da edição com as caricaturas do profeta chegar às bancas.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.