Jornal iraniano organiza competição de charges sobre o Holocausto

Um dos jornais de maior circulação do Irã, o Hamshahri, organizará uma competição de charges com tema do Holocausto, o concurso pretende testar como o principio de liberdade de expressão do Ocidente se aplica ao genocídio nazista contra os judeus.O jornal disse, nesta terça-feira, que o concurso começará no dia 13 de fevereiro e irá fazer parte da Casa de Caricaturas, uma exibição de desenhos no Teerã. Tanto o jornal quanto o evento de desenhos são de propriedade da Municipalidade do Teerã, dominada por aliados do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, conhecido pela oposição à Israel.No ano passado, Ahmadinejad provocou os ânimos da comunidade internacional dizendo que Israel deveria ser "apagada" e que o Holocausto era um "mito"."Será que o Ocidente estende sua liberdade de expressão para os crimes cometidos pelos Estados Unidos e Israel, ou um evento como o Holocausto? Ou sua liberdade é apenas para insultar santidades islâmicas?", escreveu o Hamshahri.Também nesta terça-feira, a televisão estatal do Irã informou que o ministro das relações exteriores Manouchehr Mottaki chamou o ministro do exterior dinamarquês, Per Stig Moeller, e exigiu que Copenhague e outros governos europeus "compensem os seus erros" em publicar seus desenhos.Mottaki também pediu ao embaixador da Bulgária que tome providência com relação as publicações das charges de Maomé em jornais búlgaros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.