REUTERS/Kimimasa Mayama
REUTERS/Kimimasa Mayama

Jornal japonês pede que Obama ouça vítimas da bomba atômica lançada sobre Hiroshima

Além do editorial publicado em inglês, o Chugoku Shimbun publicou também testemunhos de sobreviventes que viviam no marco zero do ataque em 1945

O Estado de S. Paulo

27 Maio 2016 | 10h49

TÓQUIO - O jornal Chugoku Shimbun, a principal publicação na cidade de Hiroshima, no Japão, pediu nesta sexta-feira, 27, ao presidente dos EUA, Barack Obama, que escute as vítimas da bomba atômica lançada pelo Exército americano em 1945, durante sua visita à cidade japonesa.

Em um editorial publicado em inglês, o Chugoku Shimbun, que está em circulação desde 1892 e possui tiragem de mais de 600 mil exemplares, pediu ao líder dos EUA que escute o ponto de vista da população de Hiroshima, que sofreu o primeiro ataque nuclear da história.

"O povo de Hiroshima estará observando de perto o presidente dos EUA e apurando se ele quer verdadeiramente avançar na abolição das armas nucleares", diz o texto, que ocupa quatro páginas.

Em razão da visita de Obama, o jornal publicou também os testemunhos de vários sobreviventes e fotografias dos que viviam em 1945 no marco zero do ataque, área visitada pelo chefe de Estado americano.

No bombardeio à cidade japonesa, ocorrido em 6 de agosto de 1945, morreram imediatamente cerca de 80 mil pessoas, enquanto no segundo bombardeio, ocorrido dias depois na cidade de Nagasaki, 74 mil pessoas perderam a vida.

O Chugoku Shimbun, cujas instalações se encontravam a um quilômetro do marco zero do ataque, perdeu 114 trabalhadores, um terço do total de funcionários, e só voltou a circular no dia 9 de agosto de 1945. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Hiroshima Barack Obama bomba atômica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.