Jornal põe Jesus e Pelé entre os principais ícones negros

Jesus Cristo foi o primeiro colocado em uma lista de cem maiores ícones negros da história mundial, feita pelo jornal britânico New Nation. Na lista feita pelo jornal voltado para a comunidade negra britânica, Jesus superou nomes como Pelé, Nelson Mandela, Martin Luther King e Muhammad Ali. O jornal refuta possíveis controvérsias relativas à cor de Jesus. "O cristianismo etíope, que precede o europeu, sempre descreve Jesus como sendo um africano", afirma o New Nation. "Na Bíblia, Jesus é descrito como sendo de pele escura. Ao longo da história apresentaram-no como sendo loiro e de olhos azuis, mas muitos duvidam disso", disse Justin Onyeka, o vice-editor da New Nation. De acordo com o editor do New Nation, Michael Eboda, a lista de ícones negros foi elaborada por um grupo de jornalistas e personalidades da comunidade negra britânica. Há três anos, a BBC exibiu um especial de TV intitulado The Son of God que procurava levantar hipóteses sobre como Jesus se pareceria. O programa especulou que ele poderia ter pele morena, olhos negros e cabelos crespos, assim como várias pessoas que viviam no Oriente Médio na mesma época. No texto sobre a lista, o New Nation ainda brincou com muitos dos clichês e preconceitos enfrentados por negros, afirmando que entre outras provas de que Jesus era negro está o fato de que ele "chamava todo mundo de irmão e nunca teve direito a um julgamento justo". Mas o primeiro lugar obtido por Jesus não foi uma unanimidade no próprio jornal. O editor Michael Eboda disse que torcia para que Muhammad Ali tivesse sido o primeiro colocado na lista. Os negros mais famosos da humanidade Jesus Martin Luther King Malcom X Nelson Mandela Muhammad Ali Mary Seacole (enfermeira jamaicana) Oprah Winfrey (apresentadora de TV nos EUA) Bob Marley Marcus Garvey (líder jamaicano) Garret Morgan George Washington Carver Elijah McCoy (cientistas) Pelé Fonte: New Nation

Agencia Estado,

27 Outubro 2004 | 14h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.