Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Jornal relata colisão de trens que teria matado 670 na Coréia do Norte

O jornal virtual sul-coreano Daily NK publicou nesta terça-feira uma reportagem segundo a qual um acidente ferroviário teria provocado a morte de aproximadamente 670 pessoas em abril na Coréia do Norte.Trata-se do segundo relato publicado sobre a suposta colisão entre um trem de passageiros e um trem de carga na Coréia do Norte cuja confirmação oficial ainda não foi possível.Na semana passada, um grupo cívico sul-coreano informou que mais de mil pessoas teriam morrido na colisão dos trens. O acidente teria ocorrido em 23 de abril em Kowon, no norte do isolado país comunista.Na ocasião, o governo sul-coreano informou que não dispunha de nenhuma informação sobre o episódio. Nesta terça não foi possível encontrar funcionário do governo da Coréia do Sul para comentar o assunto porque é feriado nacional no país.O Daily NK, um jornal especializado em Coréia do Norte publicado somente na internet, citou uma fonte não identificada que trabalha no serviço ferroviário e que foi localizada por telefone.A fonte atribuiu a tragédia a um problema de comunicação e informou que os funcionários responsáveis pelo serviço na região foram demitidos ou presos por causa da demorada resposta ao acidente, o que teria contribuído para o alto número de mortos.O jornal virtual informou ainda que outra fonte norte-coreana na China confirmou o acidente. A Coréia do Norte é um dos países mais isolados do planeta e a confirmação desse tipo de notícia é extremamente dificultada pelo controle imposto pelo governo sobre o fluxo de informações.Em 2004, a explosão de um trem devastou uma cidade norte-coreana perto da fronteira com a China. A tragédia deixou 160 mortos e cerca de 1.300 feridos. Acredita-se que a explosão tenha sido causada por um trem repleto de petróleo e produtos químicos que bateu em uma linha de transmissão de energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.