Jornal russo fala do comércio com o Brasil

O Kommersant, um dos principais jornais de economia e negócios da Rússia, resumiu de maneira crua as intenções dos governos brasileiro e russo de intensificar o comércio entre os dois países. ?Carne, açúcar e café em troca de armas e foguetes?, dizia um título na primeira página de sua edição desta segunda-feira. O Brasil entraria com os três primeiros, e a Rússia, com os dois últimos, sugere o título, ignorando um dos principais objetivos do presidente Fernando Henrique Cardoso nesta viagem: aumentar o peso de produtos de maior valor agregado na pauta de exportações para a Rússia. A reportagem informa que dois consórcios russos, fabricantes dos caças MiG e Sukhoi, concorrem na licitação aberta pela Força Aérea Brasileira para a compra de 24 aviões de guerra, no valor de US$ 700 milhões. Segundo o Kommersant, Fernando Henrique desmentiu boatos de que a licitação já está arranjada para que vençam os Mirrages, fabricados pela francesa Dassault, acionista da Embraer. O jornal também destaca o interesse brasileiro em modernizar a base espacial de Alcântara com a tecnologia russa de lançamento de foguetes. A Rússia, por outro lado, estaria interessada, diante da intenção do governo do Casaquistão de aumentar os preços para a utilização da base de lançamento de Baikonur. O Kommersant acrescenta que a Rússia também quer vender ao Brasil reatores de usinas nucleares e modernizar as hidrelétricas brasileiras. Já o Brasil busca compensar a perda de exportações para a Argentina vendendo mais para a Rússia.

Agencia Estado,

14 Janeiro 2002 | 20h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.