Jornal sul-africano pedirá desculpa por charge de Maomé

Um semanário sul-africano que suscitou a ira de muçulmanos ao publicar uma charge do profeta Maomé concordou em divulgar um pedido de desculpas depois de ter uma reunião na quarta-feira com o Fórum Unido de Muçulmanos da África do Sul, informou o fórum.

REUTERS

26 Maio 2010 | 16h38

Representantes do grupo tiveram um encontro com o editor do Mail & Guardian, Nic Dawes, e o cartunista Zapiro, depois de, na semana passada, o jornal ter publicado um desenho mostrando o profeta no divã de um psicólogo, dizendo que seus seguidores não têm senso de humor.

O fato causou indignação entre muçulmanos, que consideram ofensiva qualquer ilustração ou retrato do fundador do Islã, e suscitou receios de represálias durante a Copa do Mundo, que começa em junho.

Em 2005 um jornal dinamarquês publicou charges de Maomé, desencadeando protestos violentos nos quais várias dezenas de pessoas morreram. "O Mail & Guardian concordou em divulgar um comunicado no qual deixará registrado que o jornal lamenta o mal causado pela publicação da charge e pede desculpas por seus efeitos", disse um comunicado divulgado pelo grupo muçulmano. Não foi possível obter declarações imediatas de Nick Dawes ou qualquer outro representante de seu jornal.

Mais conteúdo sobre:
COPA JORNAL MAOME*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.