Murad Sezer/Reuters
Murad Sezer/Reuters

Jornal turco promete continuar como oposição em exílio alemão

As autoridades turcas assumiram o controle do Zaman na sexta-feira passada, aprofundando a repressão aos apoiadores do clérigo Fethullah Gulen, um inimigo influente do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

O Estado de S. Paulo

07 de março de 2016 | 19h57

BERLIM - O Zaman, jornal mais vendido da Turquia, pretende continuar a ser um diário de oposição na Alemanha depois de ter sofrido uma intervenção do Estado em seu país natal, disse o editor-chefe do Zaman Almanya (Zaman Alemanha) nesta segunda-feira, 7.

As autoridades turcas assumiram o controle do Zaman na sexta-feira passada, aprofundando a repressão aos apoiadores do clérigo Fethullah Gulen, um inimigo influente do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. O Zaman foi ligado a Gulen, que mora nos Estados Unidos. 

"A partir de hoje, estamos imprimindo uma versão do Zaman que não tem nada a ver com o Zaman de lá (na Turquia), porque fomos tomados à força pelo Estado", disse Sueleyman Bag à Reuters TV em uma entrevista.

A edição desta segunda-feira do Zaman Almanya trouxe uma primeira página em preto com a manchete "A constituição está abolida", um forte contraste com a versão publicada na Turquia, que no domingo abandonou suas críticas ao governo e publicou matérias elogiosas sobre Erdogan. "Imprimiremos um jornal independente. Ainda não tratamos da questão de como fazê-lo. Isso é um novo desafio para nós", acrescentou Bag. / REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
TurquiaZamanFethullah Gulen

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.