Jornalista americano envia urânio aos EUA sem problemas

Um jornalista da rede de televisãonorte-americana ABC viajou por meia Europa com cerca de setequilos de urânio em uma mala, sem que esta jamais fosseinspecionada, e enviou a carga radioativa por barco aos EstadosUnidos sem nenhum problema. A ABC escolheu o aniversário dos atentados de 11 de setembropara revelar o resultado da experiência. A viagem do jornalistaBrian Ross começou em 4 de julho último em uma estaçãoferroviária não identificada da Europa. Dentro de sua mala,revestida de chumbo, havia 6,8 quilos de urânio com destinofinal aos Estados Unidos. Para sua experiência, Ross utilizou urânio empobrecido, queserviria para construir uma "bomba suja". O material éradioativo e detectável pelos aparelhos de raio-X comumenteutilizados em aeroportos e fronteiras. "É uma cópia perfeita (do urânio radioativo), a única coisaque lhe falta é a capacidade de explodir", comentou ThomasCochran, especialista em armas nucleares do Conselho de Defesade Recursos Naturais, organização ambientalista que emprestou ourânio à rede ABC. Em 29 de julho, o navio que transportava a mala, colocada emum contêiner com vasos, passou sob a Ponte Verrazzano, que uneManhattan a Staten Island, e ingressou no porto de StatenIsland. Uma vez atracado, o navio, que havia partido de Istambul,Turquia, lugar conhecido por seus vínculos com o mercado negronuclear, foi inspecionado com a mais avançada tecnologiadisponível, mas nada foi encontrado. Segundo o diretor do Centro Belfer para assuntos científicos einternacionais da Universidade de Harvard, Graham Allison, operigo do terrorismo nuclear "representa a ameaça mais grave emais urgente" enfrentada pelos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.