Jornalista britânico do extinto 'News of the World' é detido

James Desborough era correspondente em Los Angeles e um dos maiores 'especialistas' em celebridades

Efe

18 de agosto de 2011 | 12h28

LONDRES - Um conhecido jornalista do News of the World, premiado pela Associação da Imprensa britânica por suas reportagens exclusivas, foi detido nesta quinta-feira, 18, após investigação das escutas ilegais do tabloide, informa a mídia britânica.

 

 

Veja também:

lista ENTENDA: O escândalo dos grampos na Inglaterra

 

 

James Desborough, de 38 anos, que até o fechamento da publicação em 10 de julho era correspondente em Los Angeles, é um dos maiores especialistas no mundo das celebridades, onde se destacou por conseguir informações exclusivas.

 

 

A Scotland Yard (Polícia Metropolitana de Londres), como é habitual, não divulgou sua identidade, e indicou que a nova detenção no caso das escutas ilegais do extinto jornal, se deveu a suspeita de que conspirou para interceptar comunicações, em alusão às escutas telefônicas praticadas durante anos pelo jornal britânico.

 

Desborough foi convocado a prestar esclarecimentos e detido, embora provavelmente ele deva ser solto nesta quinta como ocorreu com os demais detidos, depois do pagamento de fiança.

 

James Desborough ganhou em 2009 o British Press Awards por suas reportagens exclusivas que tiram o sono de qualquer celebridade, de acordo com a sentença dos juízes.

 

Uma de seus furos foi que a apresentadora, Fern Britton, do Reino Unido, havia emagrecido depois de uma cirurgia de redução de estômago e não pela vida saudável e pela prática de exercícios, como alegava.

 

O jornalista trabalhava desde 2005 no tabloide de Rupert Murdoch e em 2009 foi nomeado correspondente nos Estados Unidos, onde também houve denúncias de escutas telefônicas de familiares das vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001, às Torres Gêmeas e ao Pentágono em Washington.

 

Segundo a agência Press Association, Desborough está sendo investigado por possíveis grampos telefônicos feitos antes de sua mudança para os EUA.

 

O escândalo das escutas ilegais do News of the World explodiu em 2007, ao se tornar público que o celular do príncipe William foi espionado, mas se agravou há um mês, quando foi descoberto que os telefones de familiares de vítimas de assassinatos e soldados mortos em combate também foram interceptados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.