Jornalista chinês que alertou sobre dengue é libertado

Li Changqing foi detido no dia 3 de fevereiro de 2005 e condenado por emitir 'informação alarmista'

EFE

05 de fevereiro de 2008 | 03h50

O jornalista chinês Li Changqing foi libertado após passar três anos em prisão acusado de ser "alarmista", por informar em um jornal estrangeiro sobre uma epidemia de dengue, disse nesta terça-feira a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). Segundo um comunicado da organização, Li foi detido no dia 3 de fevereiro de 2005 por publicar uma série de artigos sobre o surto de dengue na região sudeste de Fuzhou para o site "Boxun" (www.boxun.com), um portal de notícias em chinês com base no exterior. O jornalista foi acusado pelo Governo de "incitar a subversão contra a autoridade do Estado", e acabou condenado em janeiro de 2006, por emitir "informação alarmista". Segundo o último relatório anual da RSF, a China é "a maior prisão do mundo para jornalistas", com cerca de 100 repórteres e intelectual presos por ter publicado relatórios críticos ao regime.

Mais conteúdo sobre:
Chinaimprensarepressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.