Jornalista da BBC pode ser libertado no sábado em Gaza

Hamas exige que grupo solte Alan Johnston, detido desde março

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

Os seqüestradores do correspondente da BBC detido em Gaza desde março prometeram libertar o jornalista dentro de até 24 horas, disseram nesta sexta-feira, 15, fontes próximas às negociações.O anúncio vêm à tona no mesmo dia em que o braço armado do movimento islâmico Hamas pediu a libertação imediata do jornalista Alan Johnston, depois que esta facção tomou nos últimos dias o controle da Faixa de Gaza, após dias de confrontos com membros do Fatah e das forças de segurança leais à Autoridade Nacional Palestina (ANP).Um mediador, que não quis ter sua identidade revelada, afirmou que os seqüestradores podem libertar o jornalista em menos de 24 horas. Em Londres, um porta-voz da rede BBC disse que "estamos apreensivos, mas ainda não recebemos nenhuma confirmação da situação de Alan". "Continuaremos a trabalhar com todos os envolvidos para tentar libertar Alan em segurança", ressaltou a porta-voz, que preferiu manter-se anônima.O grupo aparentemente tenta mostrar seu real poder às facções de Gaza que tentam impor a ordem na região caótica. "O repórter da BBC Alan Johnston não pode continuar por mais tempo como refém", disse nesta sexta Abu Obaida, porta-voz das Brigadas de Ezzedin al-Qassam, braço armado do Hamas.O britânico Johnston, de 45 anos, foi seqüestrado em 12 de março na Faixa de Gaza por membros de uma facção armada radical vinculada a um importante e conhecido clã familiar.Além da libertação de Johnston, o Hamas pede a liberdade a presos islâmicos, incluindo um clérigo que estaria detido no Reino Unido. VídeoNo início do mês, um vídeo colocado na internet mostrou as primeiras imagens do jornalista da BBC Alan Johnston desde o seu seqüestro. No vídeo, Johnston afirma que sua saúde está bem e que está sendo bem tratado por seus captores.Acredita-se que o vídeo tenha sido colocado na rede pelo Exército do Islã, o grupo que diz ter capturado o repórter. O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido e a BBC estão investigando o vídeo.Johnston foi contratado pelo Serviço Mundial da BBC em 1991 e passou oito dos últimos 16 anos como correspondente estrangeiro, incluindo períodos no Usbequistão e no Afeganistão.O jornalista vivia e trabalhava na Faixa de Gaza nos últimos três anos e era o único repórter ocidental permanentemente baseado no território.Mais de 130 palestinos morreram nos últimos dias, durante a campanha lançada pelo Hamas contra os agentes leais ao movimento nacionalista Fatah presidido por Mahmoud Abbas, acusados de colaborar com os EUA e Israel.

Mais conteúdo sobre:
GazaBBCAlan JohnstonHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.