Jornalista da Somália é morto em ataque com bomba

Um jornalista da Somália morreu na capital, Mogadiscio, neste sábado, após explosão de bomba. Policiais e testemunhas acreditam que a bomba tenha sido instalada no carro do profissional e acionada remotamente.

Agência Estado

21 de junho de 2014 | 11h25

A vítima é o jornalista Yusuf Keynan, que estava trabalhando para uma rádio FM local, a Mustaqbal, e também contribuía para uma rádio humanitária das Nações Unidas baseada em Nairóbi, no Quênia. A bomba que matou o jornalista estava presa embaixo do assento de seu carro, disse o oficial de polícia Abdi Garane.

"Foi horrível, o corpo dele foi queimado de forma que ficou irreconhecível e eu não sei por que ele foi o alvo", disse Hassan Idle, testemunha ocular do ataque.

Forças de segurança somali isolaram a área para investigar o incidente, a segunda morte de um jornalista na cidade este ano. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas Mogadiscio vem sendo alvo de ataques por rebeldes Shebab, ligados a Al-Qaeda.

Ataques Shebab recentes miram áreas importantes do governo, ou forças de segurança. Na quarta-feira, um estudante de medicina foi morto e outros sete feridos numa explosão de bomba em um hospital no norte da cidade.

O representante especial das Nações Unidas para a Somalia, Nicholas Kay, condenou o assassinato de Yusuf Keynan. "Condeno o assassinato de outro jovem e talentoso jornalista somali e peço que o governo da Somália atue para investigar essa morte e levar os responsáveis à Justiça", disse em declaração. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Somáliabomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.