Jornalista da Televisa é morto a tiros no México

O jornalista da Televisa em Acapulco, Amado Ramírez, foi morto a tiros na sexta-feira, 6. Dois homens armados o esperavam em seu automóvel, disse o policial Felipe Flores.O tiroteio ocorreu na Praça Central de Acapulco, local cheio de turistas e participantes da celebração da Sexta-Feira Santa na Catedral da cidade. Ninguém mais foi ferido. Ele faleceu perto do Hotel Califórnia, tentando escapar. A Televisa confirmou sua morte no noticiário noturno. Os bandidos escaparam e não está determinado o motivo do homicídio. Foi o mais recente assassinato em uma série no México, o lugar mais perigoso para esses profissionais nas Américas. Amado Ramírez trabalhava em Acapulco para a Televisa há doze anos, cobrindo desde crimes até atos políticos. O jornalista também tinha um programa de rádio. Antes de ser extinto, seu programa de rádio serviu de plataforma para criticar o governador esquerdista Guerrero Zeferino Torreblanca. A Associação Interamericana de Imprensa informa sobre uma alta no número de jornalistas mortos no México a mando de narcotraficantes. Desde outubro são sete mortos e oito que receberam ameaças de morte. Desde que assumiu em 1º de dezembro, o presidente conservador Felipe Calderón envia policiais e soldados para combater as ações do narcotráfico no México, e em Acapulco, mas a violência continua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.