Jornalista decapitado também era israelense

Sotloff tinha 31 anos e era natural de Miami. Ele trabalhava como freelancer para as revistas Time e Foreign Policy

Estadão Conteúdo

03 de setembro de 2014 | 15h25

O jornalista norte-americano Steven Sotloff, que aparece em vídeo publicado na terça-feira por extremistas islâmicos sendo supostamente decapitado, também tinha cidadania israelense, conforme informou nesta quarta-feira o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Paul Hirschson, em sua conta pessoal na rede social Twitter. Hirschson não fez mais comentários.

Sotloff tinha 31 anos e era natural de Miami. Ele trabalhava como freelancer para as revistas Time e Foreign Policy, e fora visto pela última vez na Síria em agosto de 2013, até sua imagem aparecer num vídeo divulgado na internet no mês passado, mostrando a decapitação de outro jornalista norte-americano, James Foley, por extremistas do grupo Estado Islâmico. Na terça-feira, outro vídeo publicado pelo mesmo grupo mostra uma suposta decapitação do próprio Sotloff. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.