Jornalista diz que Bin Laden está "em boa forma"

Ouvido pela BBC de Londres, o jornalista que entrevistou Osama Bin Laden na última quarta-feira disse ter encontrado Bin Laden "em muito boa forma e com a moral elevada". Hamid Mir é editor do Daily Dawn, o jornal de maior circulação no Paquistão. A ele, Osama declarou que guarda arsenal químico e nuclear e prometeu usá-lo se for atacado na mesma moeda. Foi a primeira entrevista do saudita desde os ataques de 11 de setembro nos Estados Unidos. Foi publicada neste sábado em dois idiomas: urdu e inglês. Na edição em urdu o texto sofreu alterações: Bin Laden omite a composição de seu arsenal e não ameaça "contra-atacar" com armas químicas e nucleares. Conforme Mir, Osama parece não ter muitas ilusões quanto a seu futuro, dando a entender que mais cedo ou mais tarde poderá ser apanhado pelas forças americanas. "Estou pronto para morrer. Sei que eles podem bombardear este lugar. Eles não têm idéia de onde nos encontramos neste momento. Mas estão lançando bombas indiscriminadamente em todos os lugares", ressaltou o líder extremista, dirigindo-se ao jornalista. "Dessa forma, podem matar agora mesmo eu e você." Bin Laden recusou-se a dizer se está por trás dos ataques terroristas aos Estados Unidos, descrevendo, porém, os alvos (dos ataques) como ícones dos poderes militar e econômico da América. Acusou os Estados Unidos e seus aliados do massacre de muçulmanos na Palestina, Chechênia, Caxemira e no Iraque. "Portanto, temos todo o direito de atacar a América em represália", destacou. Ele acrescentou que toda a América é responsável pelo que classificou de atrocidades perpetradas contra os muçulmanos. Quando o jornalista perguntou-lhe sobre a posição do governo paquistanês na campanha militar dos Estados Unidos e seus aliados contra o Afeganistão, ele disse apenas que a Al-Qaeda ficou desapontada com a atuação do general Musharraf (presidente o Paquistão) no episódio. "A grande maioria do povo paquistanês está contra ele", salientou. Coincidindo com a divulgação da entrevista, a rede de televisão do Catar Al-Jazira (apontada como a CNN árabe), exibiu um videoteipe com declarações do número dois da Al-Qaeda, o egípcio Ayman al-Zawahiri, que rebateu o discurso da última quinta-feira do presidente norte-americano, George W. Bush. "Em nome de Deus, o misericordioso, a Al-Qaeda rejeita o discurso do presidente americano... As palavras lidas por ele ignoraram claramente que fatos básicos da luta (referência ao conflito no Oriente Médio), sobre os quais pessoas inteligentes concordam, foram as principais razões do que aconteceu em Nova York e Washington. Além disso, o discurso dele foi repleto de contradições."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.