Jornalista do "NYT" é condenado a três anos na China por fraude

O jornalista chinês Zhao Yan, colaborador do jornal americano The New York Times, detido em 2004 acusado de revelar segredos de Estado, foi condenado a três anos de prisão por fraude por um tribunal de Pequim, informou nesta sexta-feira a agência oficial de notícias chinesa Xinhua.O tribunal ditou sentença quase um mês depois do prazo legal, mas não condenou o jornalista por revelar segredos de Estado, já que "não há provas suficientes que respaldem a acusação", segundo a Xinhua.O repórter, no entanto, terá de pagar US$ 250 de multa e devolver os US$ 2.500 "obtidos por meios fraudulentos", acrescentou a agência. Zhao Yan antecipou em 2004 a aposentadoria do líder chinês Jiang Zemin. Ele passou 22 meses na prisão, à espera de julgamento, que finalmente começou, a portas fechadas, em junho. Outro tribunal condenou a quatro anos, por danos à propriedade pública, um advogado cego que denunciou esterilizações e abortos forçados na província de Shangdong, no leste da China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.