Jornalista dos EUA condenada no Irã inicia greve de fome

A jornalista Roxana Saberi, condenada a oito anos de prisão por espionagem no Irã, iniciou uma greve de fome há cinco dias, de acordo com informações de seu pai, Reza Saberi. Norte-americana com cidadania iraniana, Roxana, 31 anos, foi condenada depois de um julgamento rápido e a portas fechadas no início deste mês. "Ela iniciou uma greve de fome para protestar contra sua prisão. Hoje é o quinto dia", disse o pai, acrescentando que Roxana continuará sem se alimentar até que seja libertada.

AE, Agencia Estado

25 de abril de 2009 | 11h13

Saberi foi presa no final de janeiro e acusada de trabalhar sem credenciais. No início de abril, as acusações mudaram para espionagem em favor dos Estados Unidos. O advogado da jornalista, Abdolsamad Khorramshahi, apelou da sentença. É a primeira vez que o Irã acusa uma jornalista norte-americana de espionagem e não está claro como o julgamento afetará os recentes esforços da administração Barack Obama para melhorar as relações com esse adversário de longa data do país.

Os EUA declararam que as acusações contra Roxana Saberi não têm fundamento e exigiram sua libertação. Um porta-voz do judiciário iraniano, Ali Reza Jamshidi, disse na quinta-feira que a corte de apelação iria reconsiderar o veredicto, uma indicação de que a sentença pode ser amenizada. Saberi nasceu nos EUA e mudou-se para o Irã há seis anos. Desde então, trabalhava como jornalista freelance para organizações como a BBC e a Radio Pública Nacional dos EUA. Ela recebeu cidadania iraniana porque seu pai nasceu no país. As informações são da Associted Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãjornalista condenada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.