Jornalista e câmera americanos feridos no Iraque se recuperam bem

O apresentador de televisão norte-americano Bob Woodruff e o câmera que o acompanhava, Doug Vogt, têm boa recuperação após sofrerem hoje ferimentos graves em um atentado em Bagdá.Os dois profissionais sofreram lesões na cabeça e, no caso de Woodruff, fratura de ossos. O presidente da ABC News, David Westin, disse que a condição deles é estável e que provavelmente serão levados ainda esta noite para um centro médico na Alemanha.Woodruff e Vogt foram operados em um hospital de Bagdá, pouco depois que o veículo militar no qual viajavam sofreu danos após a explosão de uma bomba. Eles viajavam com a quarta Divisão de Infantaria americana e com um grupo de tropas iraquianas perto de Tahi, localidade cerca de 19 quilômetros ao norte de Bagdá.Os dois estavam com coletes à prova de balas e capacetes no momento do ataque, que também deixou ferido um soldado iraquiano. O Exército americano em Bagdá confirmou que os jornalistas estavam presentes no momento do ataque, e disse que iniciaram uma investigação sobre o ocorrido. A notícia do atentado contra Woodruff e Vogt chega no momento em que outra jornalista americana, a "freelance" do jornal The Christian Science Monitor, Jill Carroll, continua seqüestrada no Iraque desde 7 de janeiro.Além de Carroll, outros 250 estrangeiros foram seqüestrados no Iraque desde o começo da invasão do país. Deles, pelo menos 39 foram assassinados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.