TVN.bg / Reuters
TVN.bg / Reuters

Jornalista é encontrada morta na Bulgária e causa indignação na Europa

Segundo o Ministério do Interior, Viktoria Marinova, de 30 anos, recebeu uma pancada na cabeça, foi estrangulada e estuprada; ela apresentava um programa sobre temas sociais locais de Ruse, no norte do país

O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2018 | 06h46

SÓFIA - Uma jornalista búlgara de uma rede de televisão local foi encontrada morta em Ruse, no norte do país, vítima, segundo a Justiça, de um assassinato que está provocando enorme indignação em toda a Europa.

O corpo de Viktoria Marinova, de 30 anos, responsável administrativa e apresentadora da TVN Ruse, foi encontrado no sábado, 6, em um parque da cidade, indicou o promotor regional, Georgy Georgiev.

A jovem recebeu uma pancada na cabeça, foi estrangulada e, segundo o Ministério do Interior, estuprada. A investigação analisa todas as pistas, tanto vinculadas à sua vida pessoal como profissional.

Ela era apresentadora de um programa sobre temas sociais locais de Ruse, um grande porto sobre o rio Danúbio, na fronteira com a Romênia.

Na última transmissão do programa, no dia 30 de setembro, houve uma entrevista com dois famosos jornalistas investigativos, o búlgaro Dimitar Stoyanov e o romeno Attila Biro, que estão apurando possíveis fraudes nos subsídios da União Europeia (UE), que envolveriam empresários e cargos eleitos do país.

Os dois jornalistas foram detidos brevemente pela polícia durante a investigação do assassinato, e o caso foi condenado pela ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

Na última classificação da RSF sobre a liberdade de imprensa, a Bulgária ficou na 111.ª posição em um total de 180 países, de longe a pior da UE, acusada regularmente pela corrupção de seu entorno midiático. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.