Jornalista é expulso pelo governo da Etiópia

O correspondente na Etiópia da agência de notícias americana Associated Press (AP), Anthony Mitchell, deixou hoje o país um dia após haver recebido a ordem de expulsão, informaram fontes da agência.O responsável pela delegação da AP para a África do Leste, Chris Tomlinson, com sede em Nairóbi, assinalou que Mitchell, britânico, partiu de Adis-Abeba com destino a essa capital, e acrescentou que os responsáveis pela agência estão tentando entrar em contato com as autoridades da Etiópia."Queremos esclarecer qual é o problema, mas até agora não tivemos resultado", acrescentou Tomlinson.Mitchell foi convocado no sábado pelo porta-voz do Ministério de Exteriores, Solomon Abebe, que o informou de que devia deixar a Etiópia até o fim da tarde de hoje.O motivo alegado para a expulsão foi que as autoridades etíopes estimam que as informações do correspondente "eram hostis ao governo".O gerente da AP, Mike Silverman, confirmou que o correspondente em Adis-Abeba já tinha obedecido à ordem do governo de abandonar o país ainda hoje."Mas esperamos que lhe seja permitido retornar a Adis-Abeba em breve para que possa estar com sua família e voltar a suas tarefas", acrescentou Silverman.Anthony Mitchell é casado com uma funcionária da ONG Save the Children, e o casal tem dois filhos pequenos. Ele tinha chegado à Etiópia há cinco anos."A AP apóia Mitchell, que é um jornalista aguerrido e justo", acrescentou Silverman.A comunidade internacional vem criticando o primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, por suas ações contra a oposição política e o cerceamento da liberdade de informação, especialmente por causa das eleições de 15 de maio último, das quais o partido de Zenawi saiu vitorioso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.