Jornalista é morto a tiros em Mosul

O editor de uma jornal semanal foi morto a tiros enquanto fazia um telefonema no teto do prédio de seu escritório. Sua filha disse que ele vinha sendo ameaçado por suas posições. Dois homens seguiram Ahmed Shawkat, editor do independente "Sem Direção" até o teto do prédio e o mataram a tiros, segundo a polícia. "Ele defendia a democracia e nosso povo não entende o significado de democracia. Talvez os islâmicos se opusessem a ele por causa disso", disse a filha, Roaa Shawkat.Há semanas Shawkat vinha recebendo cartas exigindo o fechamento do jornal, acrescentou. "Ele costumava escrever contra a resistência, contra os americanos, contra o governo local e o antigo governo. Ele tinha integridade", disse Roaa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.