Jornalista espanhol é condenado a 7 anos por fazer reportagem sobre prostituição

O ex-jornalista e empresário espanhol Sebastián Martínez Ferraté foi condenado ontem pela Justiça cubana a 7 anos de prisão por corrupção de menores. Em 2007 e 2008, Ferraté realizou uma reportagem com câmera escondida sobre prostituição infantil em Cuba, que foi ao ar em um canal de TV privado na Espanha. As denúncias desagradaram ao governo de Raúl Castro. Em julho de 2010, depois de abandonar o jornalismo, ele retornou a Havana como diretor-geral de uma cadeia espanhola de hotéis e foi detido pela polícia. A família do jornalista pede a Madri que pressione para que ele seja mandado de volta por motivos humanitários. As acusações contra ele seriam de caráter político.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.