Jornalista haitiano desaparecido reaparece nu e de mãos atadas

Dois dias após ter sido dado como desaparecido, o repórter de uma rádio haitiana foi encontrado em um canavial nesta sexta-feira, despido e com suas mãos amarradas. A autorida do seqüestro do jornalista está sendo atribuída a partidários do presidente haitiano, Jean-Bertrand Aristide.Peterson Milord, de 26 anos, que havia desaparecido na última quarta-feira, foi encontrado na manhã desta sexta-feira às margens do rio Rouyonne, a cerca de 30 km da capital, Porto Príncipe, informou a independente Radio Vision 2000. A rádio não deu outros detalhes, mas disse que aparentemente Milord não tinha sofrido danos físicos.O correspondente da Vision 2000, que é tambem repórter em Leogane de uma rádio comunitária, a Passion, foi acusado pelos partidários do presidente Jean-Bertrand Aristide de transmitir notícias caluniosas a respeito do governo central e sobre o pároco da igreja local, reverendo Fritz Sauvagère. Milord havia citado acusações de que Sauvagère teria se apropriado de fundos da igreja e aumentado dolosamente a taxa cobrada para realizar casamentos e batismos.No sábado, Milord cobria a visita de Aristide - um ex-sacerdote católico - à igreja de Santa Rosa de Lima quando, do púlpito, Sauvagère exigiu que ele se retirasse do templo. Aristide não interveio na expulsão, e dois de seus seguranças levaram Milord para fora da igreja.Em entrevista pela rádio Solidarité, pró-Aristide, na quinta-feira, Sauvagère disse que o jornalista havia sido ?desrespeitoso?. No mesmo dia, em frente à igreja, colegas de Milord protestaram contra sua expulsão e exigiram que Sauvagère se desculpasse e explicasse o desaparecimento do jornalista.Por outro lado, a Igreja Católica haitiana declarou ontem ter ?desaprovado totalmente? a expulsão de Milord e pediu desculpas aos jornalistas pelo incidente.A expulsão e seqüestro de Milord ocorre depois de anos em que a oposição e a sociedade civil vêm advertindo que os partidários de Aristide atacam jornalistas e censuram o trabalho da imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.