Jornalista inglesa é libertada

A jornalista inglesa Yvonne Ridley, detida há nove dias no Afeganistão por ingressar ilegalmente no país, foi libertada hoje, disse o ministro da Informação afegão, Qatradullah Jamal. Autoridades do Afeganistão disseram que ela foi escoltada e entregue para oficiais paquistaneses. O Taleban disse que ela poderia ser investigada pelo crime de espionagem, mas como Ridley é jornalista, ela será apenas deportada. "Ela veio ilegalmente ao país. Ela não tinha passaporte e entrou vestindo roupas afegã", disse Jamal. Ridley trabalha para o jornal Sunday Express, de Londres, e estava no Afeganistão para fazer uma reportagem sobre as condições de vida do povo afegão depois dos ataques do dia 11 de setembro, quando dois avião foram lançados contra as torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York, e um outro contra o Pentágono, em Washington. Ontem, o regime do Taleban informou que seu líder, o mulá Mohammed Omar, havia ordenado a libertação de Ridley depois de um pedido formal da chancelaria britânica.

Agencia Estado,

07 Outubro 2001 | 13h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.