Jornalista japonesa morre em Alepo e 3 estão desaparecidos

Uma repórter japonesa que cobria os confrontos em Alepo foi morta ontem e três jornalistas - dois árabes e um turco - estão desaparecidos. A informação é do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), grupo de oposição com sede em Londres.

O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2012 | 03h01

Um vídeo postado no YouTube por rebeldes mostrava o corpo de uma mulher que supostamente seria a jornalista do Japão. Segundo os opositores, ela foi morta por milícias leais ao presidente Bashar Assad, as temidas shabiha. As informações, entretanto, não foram confirmadas, pois o regime de Damasco impede o livre trabalho de jornalistas e de observadores.

Tampouco está claro se a repórter e os outros três jornalistas estavam juntos. Entre os desaparecidos, há um libanês, um sírio, que trabalhava para um jornal americano, e um turco. A identidade dos repórteres não foi revelada. Segundo o OSDH, a japonesa morreu no bairro de Suleiman al-Halabi. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.