Jornalista morre em comício de ex-ditador da Guatemala

Um repórter de televisão morreu, aparentemente de ataque cardíaco, quando um comício em favor do ex-ditador Efrain Rios Montt degenerou em violência. Hector Ramirez, do Canal 7, morreu enquanto fugia de uma turba que perseguia os jornalistas que cobriam o movimento, disseram outros repórteres. Os serviços de resgate disseram inicialmente que Ramirez havia sido baleado, mas depois informaram que a causa provável da morte seria um ataque do coração. Esforços para esclarecer a situação foram frustrados porque a multidão não permitiu o resgate do corpo. O comício teve início ao amanhecer, com centenas de jovens, usando máscaras de esqui e carregando pedaços de pau, aglomerando-se numa praça, no centro econômico da capital. A manifestação havia sido convocada para protestar contra a decisão da Suprema Corte que proibiu Rios Montt de se candidatar nas eleições presidenciais previstas para este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.