Jornalista narra assassinato de iraquiano em seu blog

O jornalista Kevin Sites, que gravou para a rede de televisão NBC as imagens de um prisioneiro iraquiano, aparentemente ferido e desarmado, sendo morto por um fuzileiro naval dos EUA, escreveu em seu blog que o homem não fez movimentos ameaçadores antes de ser alvejado. A morte ocorreu dentro de uma mesquita, durante a tomada de Faluja por tropas americanas e iraquianas. Sites afirma que pelo menos outros dois prisioneiros aparentemente foram mortos por fuzileiros que os encontraram na mesquita, onde haviam sido deixados no dia anterior por outra unidade militar. Este é o primeiro relato do episódio feito pelo jornalista free-lancer desde a primeira reportagem televisiva.Segundo o relato de Sites, dez insurgentes foram mortos e cinco, feridos na mesquita na sexta-feira, dia 12. Os feridos receberam tratamento e foram deixados no local para ser levados para a retaguarda mais tarde. No dia seguinte, os fuzileiros receberam notícias de que guerrilheiros haviam retomado a mesquita, contou Sites. Ao entrar, os soldados outro esquadrão que já estava presente. Indagado se alguém fora encontrado dentro da mesquita, um dos fuzileiros que já estavam lá mostrou cinco dedos. Sites contou que, enquanto filmava, um fuzileiro disse que um dos prisioneiros atingidos por tiros estava se fingindo de morto. "Por meu visor posso vê-lo erguendo o cano de seu fuzil na direção do iraquiano ferido. Não há movimentos abruptos, não há ação de esticar o braço ou dar o bote", afirmou Sites. "No entanto, o fuzileiro poderia legitimamente acreditar que o homem representa algum tipo de perigo. Talvez ele vá vigiá-lo enquanto outro fuzileiro procura armas. Em vez disso, ele puxa o gatilho. Há um pequeno jorro contra a parede de trás e a perna do homem se abaixa. ´Bom, ele está morto agora´, diz outro fuzileiro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.