Jornalista peruana é acusada de ser espiã russa

Vicky Peláez, radicada em Nova Iorque está entre os acusados de serem espiões para a Rússia

AP,

29 de junho de 2010 | 05h45

NOVA IORQUE - A jornalista peruana, Vicky Peláez, radicada em Nova Iorque, que mantém uma coluna em um importante jornal hispânico, está entre as 10 pessoas acusadas de serem agentes secretos da Rússia nos Estados unidos, informa as autoridades.

Peláez, de 55 anos, compareceu na segunda-feira a tarde na corte federal de Manhattan, onde um juiz ordenou que fosse detida sem direito a fiança. A jornalista do El Diário/La Prensa é acusada de associação delituosa para atuar como uma agente de um governo estrangeiro sem notificar o secretário de Justiça, o que pode acarretar em uma pena de até cinco anos de prisão. Além disso, ela é acusada de conspiração para lavagem de dinheiro, que pode chegar a penas de 20 anos de prisão.

Peláez foi presa junto com seu marido, Juan Lázaro, no domingo, em sua residência em Yonkers, um subúrbio da cidade de Nova Iorque, dizem as autoridades.

É esperado que tanto como Peláez, como Lázaro, de 65 anos, devem aparecer na tarde de quinta-feira para uma audiência na corte, onde vão tratar da detenção e da potencial fiança. A administração do El Diario/La Prensa confirmou a notícia da prisão, porém não deram mais detalhes.

De acordo com o documento, Peláez recebeu um pacote com dinheiro de um representante do governo russo em 14 de janeiro de 2000 ou um data de início em um país sul-americano não especificado. O texto acrescenta que em 25 de agosto de 2007 ou em data antecipada em um parque da cidade em um país sul-americano não especificado agentes à paisana viram o seu marido recebendo uma pasta de um agente russo.

A testemunha da polícia, um agente do FBI afirma que "nesta reunião um funcionário do governo russo deu dinheiro para Lázaro premiando o seu trabalho na Rússia".

Acrescenta que chegou a esta conclusão, em parte porque Lázaro teve problemas financeira e "antes da viagem, poucos dias depois de voltar ... pagou quase US $ 8.000 em impostos devidos".

Os agentes do FBI interceptou conversas dentro do apartamento do casal e descobriu que usavam comunicações de rádio, que recebeu de Moscou, e dinheiro escondidos na bagagem. Ele acrescentou que, em algumas vez o casal falou que estava com oito malas com 10 mil dólares em dinheiro.

Peláez é uma cidadãa norte americano nascido no Peru, diz documento, e que o marido é considerado um cidadão peruano, mas nascido no Uruguai. Ambos vivem mais de 20 anos nos Estados Unidos. Segundo a página de internet do diário, Peláez trabalhou no El Diario/La Prensa como repórter e editor durante 20 anos. Ela tem criticado severamente o governo dos Estados Unidos em suas colunas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.