Jornalista pode ter sido morto por palestinos, diz Israel

Um jornalista britânico baleado e morto enquanto filmava operações do Exército israelense na Faixa de Gaza foi atingido pelas costas, o que levanta a possibilidade de que tenha sido morto por fogo palestino e não pelas tropas de Israel, disse o Exército. O corpo de James Miller foi levado a Jerusalém para uma autópsia, disseram autoridades.Miller, de 34 anos, era um documentarista premiado e foi morto na noite de sexta-feira na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, enquanto ele e sua equipe filmavam uma operação do Exército de Israel em busca de contrabando de armas na fronteira com o Egito.A Associação da Imprensa Estrangeira em Israel, o ministério das Relações Exteriores do Reino Unido e a ONG Repórteres Sem Fronteiras exigiram uma investigação da morte.Imagens da Associated Press Television mostram a equipe do documentarista balançando uma bandeira branca e gritando que eram jornalistas britânicos, enquanto se aproximavam de uma escavadeira blindada que buscava por túneis de contrabando. Testemunhas dizem que um tanque israelense abriu fogo contra os jornalistas, mas o Exército afirma que não havia tanques na área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.