Jornalista sequestrada na Venezuela é libertada

A chefe dos correspondentes do canal de notícias venezuelano Globovisón, Nairobi Pinto, foi libertada nesta segunda-feira após oito dias de sequestro, informou a emissora.

AE, Agência Estado

14 de abril de 2014 | 12h42

A periodista, raptada em 6 de abril em frente à sua residência na zona oeste de Caracas, foi encontrada "sã e salva", indicou a Globovisón em sua página na internet. A emissora disse que Pinto foi resgatada no povoado de Cúa, no estado de Miranda.

A funcionária da Globovision foi sequestrada por três armados e mascarados que a raptaram na entrada do edifício onda ela mora, no oeste da capital. Durante os oito dias do sequestro, os autores do crime nunca contactaram a família da jornalista, o que foi confirmado por seu pai Luis Pinto.

Tudo o que sabemos sobre:
venezuelasequestrojornalista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.