Jornalista sofre atentado e acusa paramilitares

O policial que está sendo acusado de atentar contra a vida do jornalista Raúl Benoit, da cadeia de TV americana Univision, assegurou que os guarda-costas do correspondente o confundiram com um paramilitar e tomaram a iniciativa de atacá-lo. "Eu ia almoçar, e no caminho surgiram vários carros, entre eles uma caminhonete azul. Alguém disse ´cuidado´, então o motorista acelerou o carro, encurralando-me de frente", declarou neste domingo à noite o agente policial destituído Carlos Molina ao canal de televisão NTC. Na quinta-feira foi noticiado que Benoit fora atacado por um pistoleiro quando transitava por um bairro de Cáli, 300 quilômetros a sudoeste da capital, mas que dois de seus guarda-costas haviam repelido a agressão. O jornalista já sofreu várias ameaças à sua vida. Segundo o ex-policial Molina, para evitar os veículos que o cercavam, ele se jogou para a direita, mas se atrapalhou, e a moto dele entrou debaixo do carro. "Quando consegui me safar, me escondi perto de outro carro. Vi que uma pessoa que estava em uma árvore tinha uma arma na mão, e, aí, antes de me atirar no chão, já estavam disparando contra mim", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.