Jornalista vai a tribunal britânico por espionar família real

Clive Goodman, o jornalista envolvido no escândalo da suposta interceptação de mensagens de telefones celulares da família real britânica, compareceu nesta terça-feira, 16, pela primeira vez a um tribunal de Londres.Goodman, de 48 anos e responsável pela cobertura da realeza no sensacionalista "News of the World", é acusado de conspirar para interceptar comunicações, em um caso que poderia afetar também conhecidos políticos, famosos e jogadores do Reino Unido.O jornalista, que na semana passada foi suspenso temporariamente por seu jornal, o mais vendido deste país e propriedade do magnata de origem australiana Rupert Murdoch, teria cometido esse crime entre 1º de janeiro de 2005 e 9 de agosto deste ano.Goodman compareceu ao tribunal de Westminster em uma audiência de trâmite para confirmar seu nome, idade e domicílio.Segundo o ditame do juiz Timothy Workman, Goodman - que ficou em liberdade após pagar fiança - terá que testemunhar novamente em 29 de novembro, mas essa audiência acontecerá no tribunal penal de Old Bailey, em Londres.Glenn Mulcaire, de 35 anos, que é acusado dos mesmos crimes que o jornalista e também ficou em liberdade sob fiança, também prestou depoimento no tribunal de Westminster.Goodman foi colocado em liberdade após pagar fiança, assim como Glen Mulcaire, enquanto um terceiro indivíduo de 50 anos, cuja identidade não foi divulgada, foi libertado sem acusações.As detenções ocorreram dentro de uma operação policial que começou em dezembro passado, depois que a Scotland Yard foi alertada pela Clarence House, residência oficial do príncipe Charles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.