Jornalista venezuelana denuncia atentado e culpa governo

A jornalista venezuelana Martha Colomina, que se encontra entre os mais conhecidos críticos do presidente Hugo Chávez, denunciou um atentado contra ela, perpetrado por quatro homens armados que lançaram um coquetel molotov em seu veículo. Colomina responsabilizou o governo pelo suposto ataque. Na opinião dela, o atentado foi um "aviso" aos jornalistas, com o propósito de gerar "medo, limitar a liberdade de expressão e evitar a difusão de críticas contra o governo".O ministro da Infra-Estrutura, Diosdado Cabello, um dos mais próximos colaboradores do presidente, condenou o atentado, mas expressou dúvida de que os responsáveis tivessem ligação com o governo. A jornalista contou que um automóvel branco, sem placas, a interceptou em uma área do noroeste de Caracas. "Quatro homens armados saíram do carro e lançaram uma garrafa cheia de gasolina, que bateu no pára-brisa dianteiro, mas não explodiu", afirmou. ?Tenho que reconhecer que escapamos porque eles não queriam nos matar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.