Jornalista zimbabuano detido há uma semana é libertado

Gift Phiri, jornalista zimbabuano detido na semana passada e que teria sido torturado enquanto estava em uma delegacia, foi libertado após pagar fiança, informou nesta sexta-feira a imprensa local.Phiri, que trabalha para o semanário privado The Zimbabwean, e é acusado de escrever falsidades e de trabalhar sem licença de imprensa, compareceu nesta quinta-feira aos tribunais, segundo o jornal pró-governo The Herald.O jornalista foi detido no domingo e mantido sob custódia por mais tempo do que estabelece a lei. Seu advogado denunciou que o cliente foi torturado pela Polícia durante o período em que permaneceu na prisão e que, por causa dos abusos, teve um dedo quebrado, além de outros ferimentos.A Promotoria afirma que o repórter foi detido por um artigo publicado em novembro. Segundo o jornal "The Herald", o artigo dizia que alguns chefes das Forças Armadas exigiram a renúncia do presidente Robert Mugabe, no poder desde 1980, para preservar sua legalidade.Phiri também é acusado de exercer o jornalismo sem a licença de imprensa necessária.O repórter deve retornar aos tribunais no dia 25 para ser julgado. Se for considerado culpado, pode ser condenado a dois anos de prisão.O jornal The Zimbabwean é um semanário distribuído no Zimbábue, mas editado em Londres pelos antigos proprietários do The Daily News, um diário local fechado em 2003 pelo regime de Mugabe.A oposição tem sofrido forte pressão nas últimas semanas. A repressão policial entre os políticos e jornalistas que contradizem a linha do governo foi intensificada tanto em quantidade como em brutalidade.A liberdade de imprensa no Zimbábue não é garantida. As autoridades do país impedem o trabalho de muitos correspondentes estrangeiros, como os da "BBC" e da "CNN", que estão proibidos de entrar no país.A legislação zimbabuana recorre à Le de Acesso à Informação e Proteção da Privacidade, aprovada em 2002, para exercer controle sobre os meios de comunicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.