Jornalistas americanos libertados no Haiti

Dois jornalistas americanos foram libertados durante o fim de semana após passar vários dias em cativeiro. Durante esse período, eram ameaçados de morte com armas apontadas em suas cabeças pelos seqüestradores."Estou cheio de felicidade por estar livre. Esses foram os piores dias de minha vida", indicou o jornalista Alain Maximilien, de 33 anos, após sua liberação, no domingo. O câmera Frank Eaton foi libertado no sábado.Homens armados seqüestraram a ambos na quarta-feira, em Petionville, um bairro elegante da capital haitiana, e os levaram a Cite Soleil, bairro pobre na periferia da cidade. "Me sinto incrivelmente aliviado por conseguirmos sair dali", afirmou Eaton ao saber da liberação de seu amigo. Eaton, de 30 anos, que estava no Haiti para filmar um documentário sobre o país, disse que pretendia regressar com sua família aos Estados Unidos na segunda-feira. "Esta odisséia não mudou meus sentimentos sobre o país, e voltarei pronto para informar sobre a situação que se vive aqui", afirmou Eaton. Ambos disseram que foram libertados depois que seus resgates foram pagos. Quando estiveram em poder de seus captores, ligaram a amigos e familiares para conseguir que o valor fosse pago.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.