REUTERS/Carlos Barria
REUTERS/Carlos Barria

Jornalistas da CNN são presos durante cobertura dos protestos em Minneapolis

Repórter, produtor e cinegrafista da emissora americana foram presos enquanto faziam transmissão ao vivo

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2020 | 09h08

Jornalistas da rede de televisão americana CNN foram presos na manhã desta sexta-feira, 29, enquanto trabalhavam na cobertura dos protestos violentos na cidade de Minneapolis, no Estado de Minnesota. O repórter Omar Jimenez, enviado ao Estado para cobrir os protestos, foi algemado ao vivo.

O repórter estava próximo a um bloqueio policial em um dos pontos da cidade que foram incendiados por manifestantes. Enquanto reportava os fatos em uma entrada ao vivo para a televisão, Jimenez recebe voz de prisão e é algemado por um policial. O repórter pergunta o motivo da prisão, mas não é informado.

Após a prisão do repórter, os apresentadores tentam ouvir do produtor da equipe o que está se passando, no entanto o jornalista também é detido pela polícia estadual. Na sequência, o cinegrafista da equipe também é algemado e levado pelos policiais.

Pelo Twitter, a CNN afirmou que as prisões são "uma clara violação da 1ª emenda" e pediram pela soltura imediata da equipe de reportagem.

Após a manifestação da rede de televisão, o governador do Estado, Tim Walz, desculpou-se pela atuação da polícia, a qual classificou como totalmente inaceitável.

Os jornalistas foram liberados por volta das 09h. De acordo com Jimenez, os policiais foram cordiais após a prisão e não foram violentos com a equipe quando as câmeras pararam de filmar. O repórter ainda disse que quando perguntou o motivo da prisão, os policiais disseram que estavam seguindo ordens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.