Jornalistas franceses retirados da Síria chegam a Paris

Dois jornalistas franceses que foram retirados da cidade síria de Homs, que ficou durante semanas sob o assalto das tropas do presidente sírio Bashar Assad, chegaram a Paris nesta sexta-feira, vindos de Beirute. O avião que transportou a repórter do Le Figaro, Edith Bouvier, e o fotógrafo William Daniels, chegou ao Aeroporto Militar da capital francesa. Bouvier sofreu ferimentos em uma perna. Os dois foram recebidos pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy.

AE, Agência Estado

02 de março de 2012 | 15h27

Mais cedo, uma fonte disse que Edith Bouvier atravessou a fronteira entre a Síria e o Líbano até o Vale do Bekaa, no nordeste do Líbano, e foi levada para o hospital Hotel-Dieu de France, em Beirute, onde chegou logo após a meia-noite de quinta-feira (horário local).

A autoridade libanesa, falando sob condição de anonimato, afirmou que o comboio de ambulâncias e veículos da polícia percorreram as montanhas do Líbano em meio a uma forte tempestade de neve a fim de levar Bouvier e Daniels para Beirute.

Bouvier foi ferida em um ataque com foguetes durante a ofensiva das tropas síria no bairro de Baba Amr, na cidade de Homs. O ataque também matou dois jornalistas ocidentais, a repórter norte-americana Marie Colvin, de 56 anos, e o fotógrafo francês Remi Ochlik, de 28, além de ferir o fotógrafo britânico Paul Conroy, de 47 anos. Conroy conseguiu chegar ao Líbano nesta semana com a ajuda de ativistas sírios, bem como o repórter espanhol Javier Espinosa, que escapou de Homs para o Líbano um dia depois.

No final da tarde desta sexta-feira pelo horário de Damasco, o porta-voz da Cruz Vermelha, Bijan Farnoudi, disse que a organização recebeu do governo os corpos de Ochlik e de Colvin e que eles serão transportados de Homs a Damasco.

Na quinta-feira, ativistas sírios postaram vídeos lúgubres na internet mostrando os enterros dos corpos de Colvin e de Ochlik em um cemitério em Baba Amr. Logo depois, o bairro foi ocupado pelas tropas regulares sírias. O governo sírio disse que retirou os cadáveres das sepulturas e que eles serão entregues pela Cruz Vermelha às famílias.

As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.