Jornalistas gregos entram em greve em visita de Hollande

Os jornalistas gregos deixaram seus postos de trabalho por 24 horas em um protesto contras as medidas de austeridade e cortes salariais, deixando as redes de televisão e de rádio fora do ar. Os sites de notícias também ficaram sem atualizações a partir das 6 horas da manhã (do horário local; 1h em Brasília) e as edições de quarta-feira não devem ser publicadas.

AE, Agência Estado

19 de fevereiro de 2013 | 09h40

Com isso, a visita do presidente da França, François Hollande, à Atenas ficou sem cobertura da mídia grega, enfurecendo o governo. Hollande chegou a Grécia nesta terça-feira para discutir a profunda crise financeira do país.

O governo acusa o partido de oposição Syriza de instigar deliberadamente a greve para causar "um apagão de notícias durante a visita do presidente francês François Hollande".

A televisão estatal transmitiu imagens ao vivo de Hollande em sua chegada no aeroporto e mostrou a autoridade francesa cumprimentando o primeiro-ministro Antonis Samaras e membros do gabinete, mas não ofereceu nenhum comentário, o que normalmente é realizado por jornalistas. Durante as conversas de Hollande e Samaras, a TV estatal transmitiu repetidamente o material bruto da chegada do presidente francês no aeroporto.

Sindicatos de jornalistas protestam contra demissões e cortes de pensões e benefícios, entre outras questões. Centenas de jornalistas do setor privado frequentemente ficam sem pagamento por meses.

A greve acontece um dia antes de uma paralisação geral de 24 horas contra as medidas de austeridade. A greve geral deve ocorrer em todo o país e interromperá todos os serviços da Grécia.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciagreveHollande

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.