Jornalistas italianos estão presos no Iraque

Os sete jornalistas italianos que haviam sido dados como desaparecidos na quinta-feira foram presos pela polícia iraquiana, informou um outro jornalista, Angelo Machiavello, da rede de TV Itália 1. Machiavello conseguiu fugir do bloqueio dos agentes. Os jornalistas, de diferentes jornais italianos, viajavam em vários veículos para a cidade de Basra, no sul do Iraque, quando foram presos.Dois jornalistas portugueses, Luis Castro e Víctor Silva da TV pública RTP, e dois jornalistas israelenses, Boas Bismuth do jornal Yediot Ahronoth, e Dan Scemama de uma rede de TV de Israel, foram detidos pela tropas americanas e expulsos do Iraque para o Kuwait, acusados de espionagem. Os repórteres teriam entrado em território iraquiano sem credenciais de imprensa. Os correspondentes portugueses reclamaram que foram agredidos pelos soldados dos EUA.O fotógrafo espanhol Moisés Samán e o repórter Matt Mcallester, do jornal Newsday de Long Island (perto de Nova York) estão desaparecidos desde segunda-feira, após enviarem um e-mail do Hotel Palestina de Bagdá à redação.Um cinegrafista da rede de TV do Catar Al-Jazira desapareceu hoje depois que tanques britânicos dispararam contra um mercado e caminhões que ele estava filmando nas imediações de Basra.Também perto de Basra, desapareceram sábado o cinegrafista francês Frédéric Nerc e o intérprete libanês Husein Osman, que trabalham para a TV britânica ITN. Desde sábado, também não se tem notícias de três jornalistas da rede Al-Arabiya, um sírio e dois libaneses. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.