Jornalistas são suspensos por filmar ataque a Murdoch

Repórteres filmaram agressor sendo levado pelos guardas e infringiram regras do Parlamento

Associated Press

20 de julho de 2011 | 18h01

Momento do ataque a Murdoch na audiência de terça-feira

 

LONDRES - Dois jornalistas que cobriram o ataque de um comediante contra o magnata australiano Rupert Murdoch durante uma audiência no Parlamento britânico foram suspensos nesta quarta-feira, 20, de trabalhar no local. A decisão foi tomada pela própria Casa dos Comuns.

 

Leia mais:

lista ENTENDA: O escândalo dos grampos na Inglaterra

 

Os jornalistas captaram imagens de Jonnie Marbles, o comediante que tentou acertar Murdoch com uma "torta de espuma", sendo levado pela polícia após o ataque. Segundo a deputada Louise Mensch, a licença dos repórteres para trabalhar no Parlamento foi revogada porque eles quebraram "regras estritas" de onde os jornalistas podem filmar.

 

Os dois suspensos são Paul "Gobby" Lambert, da BBC, e Theo Usherwood, da Press Association. Uma campanha intitulada "Salvem Gobby" surgiu no Twitter, recebendo apoio de jornalistas e outros deputados.

 

O gabinete do presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, emitiu um comunicado dizendo que embora os jornalistas tenham quebrado regras, o fizeram em circunstâncias "sem precedentes e não previstas". Funcionários do Parlamento disseram posteriormente que seus passes foram revalidados.

 

O ataque contra Murdoch não deixou feridos e interrompeu a sessão por dez minutos. O magnata foi convocado para depor por causa do esquema de grampos que envolve tabloides pertencentes à News Corp., empresa da qual é controlador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.