José Bové é condenado a 14 meses de prisão

A mais alta instância do Poder Judiciário francês condenou hoje o ativista antiglobalização José Bové a 14 meses de prisão por destruir plantações de grãos geneticamente modificados.O Tribunal de Cassação ratificou uma sentença ditada por um tribunal de apelações de Montpellier que condenou Bové a seis meses de prisão por destruir cultivos de arroz geneticamente modificados em 1999 e revogou a suspensão de uma sentença de oito meses de prisão por um caso de 1998.Bové estava em Millau, sua terra natal, no sul da França, quando o veredicto foi lido. O ativista antiglobalização não pode ser preso até que lhe seja entregue uma notificação por escrito da promotoria de Montpellier.Quando esteve no Brasil no ano passado, para o Fórum Social, o ativista francês também participou da destruição de 2 hectares de uma plantação de soja transgênica no interior do Rio Grande do Sul. Na ocasião, foi notificado pela Polícia Federal para deixar o País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.