Joseph Kennedy desiste de vaga do tio no Senado

O ex-congressista Joseph Kennedy II anunciou ontem que não vai se candidatar à vaga no Senado deixada por seu tio Ted Kennedy, que morreu no mês passado. Joe Kennedy, de 56 anos, é filho mais velho de Robert Kennedy e era considerado o favorito, caso se candidatasse ao Senado pelo Estado de Massachusetts, principal reduto dos Kennedys. Mas questionamentos sobre suas ligações com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o impediram de tentar manter a dinastia da família no Senado.

AE, Agencia Estado

08 de setembro de 2009 | 10h06

Joe é presidente da Energy Citizens, uma entidade sem fins lucrativos que distribuiu óleo para aquecimento a preços reduzidos para 200 mil famílias carentes em 23 Estados. O óleo é doado pela Citgo, uma subsidiária da empresa estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA). "Meu pai dizia que a política era um profissão honrada e eu tenho profundo respeito por aqueles que lutam pelas causas da justiça social e econômica em um cargo eletivo", declarou Joe Kennedy. "Mas depois de pensar muito, decidi que a melhor maneira para eu contribuir para essas causas é continuando com meu trabalho na Citizens Energy", disse Joe, em uma nota divulgada ontem.

Seu pai, Robert Kennedy, secretário de Justiça e depois senador, foi assassinado em 1968 nas primárias no Estado da Califórnia. Ele era irmão de John Fitzgerald Kennedy, ex-presidente dos EUA que também foi assassinado. Joe serviu ao Congresso entre 1987 e 1999. Ele já foi protagonista de vários anúncios na TV e escreveu editoriais defendendo seu uso do "petróleo de Chávez". Mas os políticos conservadores não desistiram de suas críticas contra Kennedy, a quem acusam de ser aliado de um "inimigo declarado dos EUA, o ''petroditador'' Hugo Chávez".

A posição no Senado ficou vaga no dia 25, com a morte de Ted, em decorrência de câncer no cérebro. A eleição especial para preencher a vaga está marcada para 19 de janeiro, embora legisladores democratas queiram antecipá-la ou indicar um substituto temporário. A viúva de Ted, Victoria, já declarou que não quer concorrer ao Senado. O filho de Ted, o congressista Patrick, também não. Até agora, a procuradora-geral Martha Coakley foi a política mais destacada a anunciar publicamente a candidatura ao Senado. Com a desistência de Joe Kennedy, outros deputados devem vir a público. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASenadoTed KennedyJoseph Kennedy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.