Jospin e Chirac polemizam sobre uso da maconha

A legalização da maconha, um assunto que divide tanto a esquerda como a direita na França, também começou a dividir os candidatos presidenciais hoje, depois que o primeiro-ministro francês Lionel Jospin afirmou que fumar um baseado em casa é menos perigoso do que beber e dirigir. A observação de Jospin, um socialista, provocou uma onda de reações e acusações de hipocrisia por parte de seu principal opositor, o presidente conservador Jacques Chirac."É preciso ser claro ... o senhor é a favor ou contra (a legalização da maconha)", disse a porta-voz da campanha de Chirac, Roselyne Bachelot, sugerindo que Jospin temia se distanciar dos eleitores que querem a maconha legalizada."O que eu não entendo é a hipocrisia do que ele afirma", disse ela à emissora de TV France 2, acrescentando que a declaração de Jospin era "confusa". Chirac é contrário à legalização desse tipo de produto, e sua posição é "clara" e "precisa", declarou sua porta-voz de campanha.Jospin, em respostas à agência de notícias France-Presse veiculadas nos jornais franceses, disse que não queria banalizar o consumo de maconha. No entanto, ele disse que "fumar um baseado em casa é certamente menos perigoso do que beber álcool e dirigir, para si próprio e para os outros". Ele também declarou ser contrário à descriminalização da maconha. O assunto foi tema de capa do jornal Le Monde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.