REUTERS/Benoit Tessier
REUTERS/Benoit Tessier

Jovem é acusado de participação em atentado na Champs-Élysées

O rapaz está cumprindo prisão provisória, acrescentaram as fontes

O Estado de S.Paulo

20 Maio 2017 | 08h09

PARIS - Um juiz de instrução acusou um jovem, detido na última segunda-feira, 15, nos arredores de Paris, por sua relação com o atentado que no dia 20 de abril, matou um policial na Champs-Élysées, de acordo com informações passadas para a Agência Efe pelas fontes judiciais.

O jovem está cumprindo prisão provisória, acrescentaram as fontes.

Segundo o juiz de instrução, ele responderá por 'empresa terrorista' e por levar uma arma de categoria A.

A operação está relacionada com as investigações sobre a origem do fuzil AK-47, utilizada por Karim Cheurfi para matar o policial e ferir outros dois, antes de ser morto pelas forças de segurança.

O acusado, de 23 anos, tinha sido detido na periferia de Paris, no mesmo departamento de Seine-Saint-Denis, onde residia o autor do crime.

Segundo o jornal 'Le Monde', o jovem disse no tribunal que não conhecia Cheurfi.

O atentado ocorreu três dias antes do primeiro turno das eleições presidenciais - no mesmo momento em que acontecia um debate entre os candidatos na televisão - e foi reivindicado pelo Estado Islâmico (EI), embora o grupo terrorista atribuído uma pessoa com outra identidade.

Karim Cheurfi, que tinha 39 anos, não era fichado pelos serviços secretos franceses, tinha passado longos períodos na prisão por ataques contra policiais.

No mês de fevereiro, ele tinha sido interrogado por ter falado sobre um projeto de atentado contra policiais, antes de ser libertado, já que não encontraram elementos para justificar sua prisão. / EFE

Mais conteúdo sobre:
PARISLe MondeEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.