Jovem indiana morre queimada após resistir a ataque de homens

Grupo de seis agressores ateou fogo ao corpo de uma adolescente de 15 anos que tentou fugir de assédio

O Estado de S. Paulo

26 Novembro 2014 | 16h45

LUCKNOW, India - Uma adolescente de 15 anos morreu na Índia, uma semana depois de um grupo de homens ter ateado fogo ao seu corpo após a jovem resistir ser tocada por eles. O crime aconteceu no dia 16 e ela morreu no domingo, segundo informou a polícia local ontem.  

Segundo as autoridades, quatro homens suspeitos de envolvimento no crime foram presos. O episódio de violência aconteceu na casa da família, que vive na aldeia de Shahjahanpur, no Estado de Uttar Pradesh (norte). 

O superintendente RK Sahu contou que a família da vítima explicou à polícia que a jovem, após deixar sua casa, foi abordada pelos homens, que tentaram tocá-la. A jovem resistiu ao assédio e, como punição, eles a forçaram a entrar em casa e atearam fogo nela com querosene.  

A menina foi levada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no domingo. A polícia procura outros dois supostos autores do crime. 

Vários casos de estupro coletivo têm despertado indignação dentro e fora da Índia. Em um deles, o de uma jovem de 23 anos que morreu depois de ser violentada dentro de um ônibus em Nova Délhi em dezembro de 2012, inspirou grandes manifestações e levou a um endurecimento das leis contra os autores de crimes sexuais. Apesar disso, esse tipo de ataque continua sendo cometido continuamente na Índia. / AFP

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
ÍndiaestuproNova Délhi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.