Jovem inglês é condenado à prisão por incitar violência através do Facebook

Decisão foi criticada por alguns parlamentares britânicos; premiê diz que sentença deve ser 'dura'

Efe

17 de agosto de 2011 | 12h54

LONDRES - Um jovem condenado a quatro anos de prisão por incitar a violência através do Facebook durante os distúrbios na Inglaterra anunciou nesta quarta-feira, 17, que recorrerá da sentença, que foi criticada por alguns parlamentares.

 

O homem, de 21 anos, foi condenado na terça-feira junto a outro jovem, de 22, a quatro anos de prisão por planejar distúrbios violentos através da rede social.

 

Enquanto alguns parlamentares criticaram nesta quarta-feira a dureza das penas que estão sendo impostas aos que participaram da onda de violência em várias cidades inglesas, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, as justificou.

 

"O tribunal decidiu impor uma sentença dura, enviar uma mensagem dura, e acho que é muito bom que os tribunais assim o façam", disse Cameron nesta quarta-feira.

 

Os dois jovens, moradores de Chester (noroeste da Inglaterra), admitiram que utilizaram a rede social para tentar organizar distúrbios, embora suas mensagens não tenham sido efetivas.

 

O juiz do tribunal de Chester que condenou os dois afirmou que espera que a pena tenha um efeito "dissuasório".

 

Também nesta quarta-feira, um tribunal de menores vetou das redes sociais durante um ano um jovem de 17 anos que enviou através do Facebook uma mensagem estimulando a população que participava dos distúrbios.

 

O jovem deverá cumprir ainda um toque de recolher em seu domicílio entre as 19h e as 6h durante três meses e deverá prestar 120 horas de serviços à comunidade.

 

As críticas à excessiva dureza da Justiça com as pessoas que participaram dos distúrbios começaram após sentenças como a que a terça-feira condenou um jovem de 26 anos a um ano e quatro meses de prisão por manter em seu carro uma televisão roubada durante os saques realizados pelos manifestantes.

 

Outro caso polêmico foi o de uma mulher de Manchester condenada a cinco meses de prisão por aceitar uma calça roubada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.