Jovem preso por matar alunos em Ohio foge, mas é recapturado

T.J. Lane escapou com dois presos, mas foi encontrado horas depois; em 2012, ele abriu fogo numa escola secundária e matou 3

O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2014 | 09h25

CLEVELAND - O adolescente de 19 anos Thomas T.J. Lane, que cumpre prisão perpétua nos EUA por matar três estudantes na cafeteria de um colégio de segundo grau em Ohio em 2012 escapou da prisão na quinta-feira e foi recapturado horas depois.

Lane fugiu da prisão de Lima por volta de 20 horas (21 horas, no horário de Brasília) com outros dois presos, escalando uma cerca. Quase seis horas depois, ele foi encontrado em uma igreja, onde tentava se esconder, a cerca de 90 metros da prisão.

Após a fuga, a polícia local alertou os moradores, por meio do Twitter, para permanecerem dentro das casas, não darem caronas para estranhos e telefonarem para as autoridades se vissem algo suspeito.

Nesta sexta-feira, a patrulha de Ohio informou que o adolescente havia sido recapturado depois de uma busca com o uso de helicóptero e diversos agentes. Segundo a polícia, Lane estava desarmado.

Dos outros dois presos que fugiram, um também foi recapturado rapidamente, mas o outro, Clifford E. Opperud, de 45 anos, continua foragido. Opperud estava na metade da pena de 15 anos de prisão por roubo com agravantes e sequestro.

Caso. Lane invadiu armado a escola secundária Chardon, em Ohio, no dia 27 de fevereiro de 2012 e abriu fogo na cafeteria, que estava cheia de estudantes no momento. Ele disparou 10 tiros e matou três estudante.

Daniel Parmertor, 16 anos, morreu imediatamente. Demetrius Hewlin, 16, e Russell King Jr., 17, morreram no dia seguinte.

Lane confessou durante o processo ter entrado na escola com uma pistola calibre 22 e uma faca e ter efetuado os 10 disparos contra os alunos.

No ano passado, o adolescente foi condenado a prisão perpétua. Na ocasião do crime, ele tinha 17 anos, mas foi julgado como adulto. Ao receber a sentença, Lane sorriu e mostrou a camiseta que vestida, com a palavra "assassino".

Segundo documentos judiciais, Lane já havia provocado distúrbios antes do crime, quando brigou com o tio e passou um mês em um centro para menores. Na época do tiroteio, o jovem estudava em um centro especial anexo ao colégio. / AP, EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.