AFP PHOTO / METROPOLITAN POLICE
AFP PHOTO / METROPOLITAN POLICE

Jovem que planejou ataque em show de Elton John pega prisão perpétua

Em abril, Syed, de 19 anos, que seguia o grupo extremista Al-Muhajiroun, se declarou culpado de ter planejado entre abril e setembro de 2016 cometer um atentado no centro de Londres

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2017 | 16h07

LONDRES - O britânico Haroon Syed foi condenado nesta segunda-feira, 3, à prisão perpétua por planejar em 2016 um atentado terrorista no centro de Londres, que tinha como possível alvo um show do cantor Elton John.

O juiz Michael Topolski do tribunal penal londrino de Old Bailey disse que Syed, de 19 anos, deve cumprir pelo menos 16 anos de prisão antes de poder pedir uma revisão da pena.

"No geral, você teve e reteve a intenção de cometer um massacre em massa" no Reino Unido, declarou o magistrado, que ressaltou que o acusado estava "comprometido com a ideologia de uma organização bárbara e brutal que quis sequestrar e corromper uma religião antiga e venerável para os seus próprios propósitos".

Em abril, Syed, que seguia o grupo extremista Al-Muhajiroun, se declarou culpado de ter planejado entre abril e setembro de 2016 cometer um atentado no centro de Londres.

Em seus preparativos, considerou vários alvos, entre eles um show de Elton John em Hyde Park para lembrar o aniversário dos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Durante o julgamento, a Promotoria explicou que o jovem foi detido em 8 de setembro após manter contato pela internet com um agente do serviço secreto britânico que se fazia passar por um extremista chamado Abu Yusuf e, supostamente, podia conseguir armas.

Relembre: May condena 'horrível atentado terrorista'

O jovem pediu uma metralhadora, um colete à prova de balas e explosivos, confessou que não tinha dinheiro e, após se mostrar reticente no início, combinou de se encontrar com seu contato em uma cafeteria, o que permitiu ao agente gravar a conversa.

Foram encontrados nos registros de seus dispositivos eletrônicos buscas sobre o Estado Islâmico (EI), enquanto Isis (sigla em inglês do nome do grupo jihadista) era a senha de seu telefone.

Durante o processo, o advogado de defesa argumentou que Syed era uma pessoa em situação vulnerável, devido ao seu histórico familiar, sua falta de educação, seu vício em jogos violentos de internet e uma recente condenação imposta a seu irmão.

Nadir Syed, de 23 anos, foi condenado em junho de 2016 à prisão perpétua, da qual deverá cumprir um mínimo de 15 anos, por planejar um atentado de inspiração jihadista durante um dia de homenagem às Forças Armadas em 2014. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Grã-Bretanha Reino Unido Elton John

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.