Jovem que planejou matar Bush é condenado a 30 anos de prisão

O americano Ahmed Abu Ali foi condenado nesta quarta-feira a 30 anos de prisão por planejar assassinar o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e por fazer parte da rede terrorista Al Qaeda. Em novembro do ano passado, um júri federal declarou Ahmed Abu Ali, de 24 anos, culpado por vários crimes, entre eles o de conspiração para o assassinato do presidente. O juiz federal Gerald Bruce, de Alexandria no Estado da Virginia, afirmou que, após os 30 anos de prisão, o condenado deverá ficar mais 30 anos em liberdade condicional. A acusação queria a condenação à morte para Abu Ali. No entanto, o juiz Bruce disse que ninguém ficou ferido com os planos do jovem, que também não possuía armas, o que o impedia de receber a pena capital. "É apavorante pensar que este homem voltará às ruas dos Estados Unidos", declarou David Lauffman, um dos advogados de acusação. No momento em que a sentença foi ditada a mãe, o pai e os dois irmãos do acusado estavam no tribunal. Ali nasceu nos Estados Unidos e é filho de um jordaniano. O jovem, que cresceu em Falls Church na Virginia, disse às autoridades, após ser detido em uma universidade da Arábia Saudita, em junho de 2003, que fazia parte da rede Al Qaeda e confessou ter tramado várias ações terroristas, entre elas um plano para assassinar Bush. Abu Ali ficou 20 meses sob custódia da Arábia Saudita antes de ser enviado para os Estados Unidos em 2005 para ser julgado.

Agencia Estado,

29 Março 2006 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.